10 regras de ouro para a escolha de acessórios para a sua sala.

Você já passou pelo dilema de olhar para um móvel na sua sala e pensar:

Ah, falta uma peça aqui, mas o que seria? Tem que combinar, tem que enriquecer o ambiente, mas o que poderia ser?

Os acessórios podem ser vasos, objetos, quadros, mesas de composição, almofadas, tapete e até luminárias, a escolha deve ser cuidadosa.

Para acertar vamos as 10 regras de ouro para a escolha de acessórios:

1-Escala: se você tem uma sala pequena, os móveis e objetos deverão seguir essa escala, não invista em peças grandes.

2-Atmosfera/mood ou estilo: Se sua sala é clássica/tradicional a moderação é necessária, invista em peças que pertençam ao estilo, veja que objetos clássicos compõe facilmente um ambiente clássico, mas uma peça contemporânea/moderna será difícil de se harmonizar.

3-Quantidade: Quantas peças devo colocar? Se você gosta de viver em ambiente clean, aqueles com o número mínimo de peças, terá que ser poucas peças e de muita qualidade. Aqui vale pensar em ícones do design por exemplo.

Porém, se você gosta de ambiente com muitas peças, com lugares todos preenchidos, vale pensar em mais peças.

Não há uma quantidade fixa, vai depender do que o ambiente oferece e comporta.

4-Cor: Essa escolha vai depender do item 2 ou estilo. Se for uma sala Clássica, a paleta de bege, marrons e creme vão ficar muito apropriadas.

Mas se o estilo for moderno, pode ousar mais em cores vibrantes, mas todo cuidado é pouco, a mistura de cores precisa ter harmonia. Por exemplo, escolhi para o sofá cinza, almofadas vermelhas. Ótimo, o vermelho vai comandar a escolha das outras cores.

Os acessórios podem trazer mais personalidade e dar o toque de cor para ambientes em tons neutros ou ainda neutralizar cores dominantes.

5-Harmonia: As peças recém escolhidas tem que combinar, se harmonizar com o que está no ambiente. Harmonia é um modo sútil de dizer que tudo está certo, desde a cor, escala, mood, entre todas as peças. É o diálogo amigável entre tudo que está no ambiente sem confusão.

6-Material: O material expressa muito do estilo ou mood, para ambientes clássicos os metais envelhecidos, tons dourados ficam bem mas no contemporâneo os metais como aço inox, ficam mais harmonizados. A variedade de possibilidades é enorme, o vidro, a resina, cerâmica e tantas outras opções de escolha porém lembre-se que para colocar o objeto dependerá de harmonia.

7-Plantas: São consideradas neutras, seja no estilo clássico ou no contemporâneo, elas farão bela presença, atenção para os vasos ou peças onde elas estão colocadas ou plantadas, essas peças devem se harmonizar com o mobiliário.

8-Respeito ao layout: é uma referência à forma de disposição dos móveis em planta, mas diz respeito às áreas de circulação, não coloque nada que obstrua a passagem. Pequenos móveis ou vasos no lugar errado podem ter um grande potencial de criar nervosismo para quem circula entre eles, claro ninguém gosta de bater em móveis mal colocados.

9-Cantos: Os cantos do ambiente devem ser suavizados, vasos, luminárias de chão, esculturas.

No caso de uso de plantas naturais não se pode esquecer de escolher plantas que se adaptem bem ao interior dispo-las perto de entrada da luz natural.

10-Ponto focal: Podemos com os acessórios criar pontos de interesse no ambiente, ele podem ser responsáveis pelo convite ao olhar com atenção.

Certamente, os ambientes ficam mais belos quando temos as regras e a elaboração necessária. A ousadia pode fazer parte da escolha dos acessórios mas muito cuidado pois pode ser que esse contraste ousado ou escala maior do objeto possam criar uma desarmonia e colocar tudo a perder.

Lembre-se o conjunto vale mais do que a peça em si.

Dica bônus: Os acessórios podem variar de acordo com a estação. A primavera pede flores frescas e descontratação, o outono e inverno pedem por aconchego, o verão clama por frescor. Tirar proveito de cada detalhe renovará a atmosfera do ambiente, as possibilidades são ilimitadas e sem mover uma peça do mobiliário poderá ter um visual totalmente renovado!

Maitê Orsi

Se você ama as cores, leia isso.


Porque recomendo a leitura do livro Psicologia das Cores.

Lembram-se que postei uma série no Facebook chamada Azul a cor preferida da maioria? Essa informação veio do livro Psicologia das Cores de Eva Heller (1948-2008) socióloga e psicóloga pela universidade de Berlin. Link: https://www.facebook.com/maiteorsidesign

Imagine que há 27 páginas tratando somente sobre o azul e suas relações com emoção, cultura, história entre outros. Assim como temos o azul em foco, há um capítulo específico para cada uma das outras 12 cores também! Esse livro é o resultado de uma pesquisa feita com 2.000 pessoas de varias profissões na Alemanha e conforme as notas da autora na primeira edição deste livro a cor preferida da maioria era o vermelho, mas as preferências mudam realmente dependendo do contexto e de tempos em tempos Veja o exemplo de produção de efeitos diferentes: “Um mesmo tom vermelho pode ser erótico ou chocante, inoportuno ou nobre.” No livro, a autora fez atualizações neste item da pesquisa de “Cor Preferida da Maioria”.

Na pág. 59 temos: “A cor da felicidade”, representada pelo trio ouro, vermelho e verde, significando dinheiro-amor-saúde. Isso é a felicidade, como exemplo o capítulo vai mostrar as diferenças culturais tais como na China a noiva se casa de vestido vermelho e não branco como é usual no ocidente.

O livro aborda de modo sistemático a relação entre as cores e os nossos sentimentos, efeitos provocados, usos, como as associamos em combinar ou não combinar uma cor com outra. Além disso, as cores estão profundamente enraizadas na nossa linguagem e, por isso, a autora incluiu um conjunto de provérbios, ditados populares e expressões idiomáticas relativas às cores. Realmente algo muito interessante!

A abordagem é bastante diversa, abrange um olhar muito detalhado em âmbitos socioculturais, políticos, religiosos e pode ser muito útil para profissionais que usam a cor como recurso e fundamento, como profissionais do design, moda, interiores, arquitetura, publicidade, terapeutas e, claro, para aqueles que amam o assunto.

Recomendo a leitura!

Autora: Eva Heller               

A psicologia das cores -Como as cores afetam a emoção e a razão.

(Editora Gustavo Gili, 2007) Sexta impressão em 2016.

Onde vc encontra: