Qual será o lugar perfeito para acomodar a face? Se respondeu travesseiro ou almofada, acertou! Saiba todos os detalhes sobre esse acessório para usá-lo da melhor maneira.

Só de falar em almofada ja nos sentimos mais relaxados!

A palavra almofada vem do árabe e significa lugar para colocar a face.

Claro que ao pensar em acomodar nossa face pensamos em conforto, segurança, aconchego, textura macia. E veja como há um vínculo com a sensação de conforto que poderá ser desfrutada na acomodação ideal.

Este motivo já dá sentido à persistência deste acessório que acompanha sofás, poltronas e camas desde muito tempo na historia da nossa casa.

E são elas o objeto do nosso estudo aqui, em todos os detalhes para você entender mais e usá-las muito melhor.

Vamos desmontar a almofada em seus todos os seus detalhes:

  1. Contexto ou local de uso.
  2. Tipo de Uso ou função: Adornar, melhorar a ergonomia do móvel onde estão, descanso, e outros
  3. Proporção: Qual a proporção adequada e medidas para a almofada, considerando sempre onde irão ficar.
  4. Enchimento ou estofamento.
  5. Material e textura: Como devem ser confeccionadas e com que material.
  6. Manutenção e limpeza.
  7. Estilo
  8. Cor

Sabendo mais de cada item:

O contexto ou lugar onde ficarão

Contexto significa onde as almofadas ficarão, qual o móvel que irão fazer composição. Ou seja, as almofadas ficarão no sofá ou poltrona. Qual a cor do móvel, a cor das paredes, a cor predominante. As almofadas serão  então contrastantes as cores do ambiente ou tom sobre tom.

Como serão usadas:

Tipo de uso ou função que as almofadas desempenharão, uma delas será embelezar com certeza, mas desempenharão um papel de melhorar a postura ao nos sentarmos no sofá por exemplo ou ainda diminuirão a profundidade do assento para pessoas de estatura menor? Geralmente elas nos auxiliam muito no conforto e ajuste ergonômico ao sentar, pois cada inclinação em graus que deixamos as nossas costas ficarem, estaremos assumindo uma postura mais relaxada ou mais ereta. Ao sentar numa poltrona ou sofá em que o encosto do móvel encontra-se em 120 graus de inclinação por exemplo será muito mais relaxante do que sentimos aos exatos 90 graus. Isto depende da adaptação e preferência pessoal, por isso a almofada desempenha o papel de permitir um ajuste maior e mais personalizado.

As proporções:

A proporção da almofada depende das dimensões do móvel, pois aqui vale a regra de que deve haver equilíbrio entre as dimensões de ambos, almofadas muito pequenas se perdem em moveis grandes e vice-versa. A dimensão mais comum é 50cmx50cm para as quadradas e 50cmX30cm para as retangulares, mas ha muita variação neste item, como por exemplo 45cmX45cm, sem contar que podemos confeccionar em dimensão personalizada.

Estofamento:

Enchimento ou material de estofamento, temos um ótimo exemplo que é a microfibra de poliéster pois é um material robusto e durável, oferece maciez sem deformação e durabilidade. Pode ser de fonte reciclável, o que o deixa melhor ainda, pois respeita o meio ambiente ou é ecoamigável . O material de estofamento deve ser resiliente ou indeformável e hipoalergênicos ou não promover alergia , não deve ter odor e não deve fazer barulho pois há tipos de enchimento cuja composição heterogênea promovem estes resultados desagradáveis.  O material de estofamento deve ser livre de mofo e bactérias pois isso assegura o seu bem-estar e saúde e de toda a família.

O revestimento:

  1. O material de enchimento já foi abordado no item anterior, então falaremos agora do material de revestimento. Podemos usar uma variedade de tecidos, da sarja ao veludo, vamos ver cada um dos mais usados em particular:
  • “fake fur” ou pelo sintético- é um revestimento que acrescenta textura e da uma sensação de conforto pela volumetria do pelo, deve ser usado com cuidado para criar detalhe e não pesar.
  • Microfibra – também são ótimas para dar conforto e maciez, são de material sintético e acrescentam como as “fake fur” um clima de aquecimento.
  • Veludos – são um luxo e dão muita personalidade ao ambiente.
  • Percal – muito usado para quarto, é leve e fresco, tem ótima lavabilidade.
  • Sarjas – são encorpadas e resistentes, ótima lavabilidade, podem ser lavadas até na máquina.
  • Sedas – Sofisticadas e belas, de toque suave e fresco, são encontradas em muitas cores, são muito amistosas para a nossa pele e cabelo. Lembrando aqui que a qualidade de todos os materiais usados, desde o enchimento até o conjunto de revestimento e o acabamento e costura, são itens de muita importância para obter-se o resultado final de sucesso.

A limpeza:

Manutenção e limpeza – a ideia de a capa ou revestimento terem zíper para tirar do enchimento e lavar, acrescenta praticidade e facilidade de limpeza.

O estilo:

Estilo – as almofadas compõe bem desde o ambientes estilo clássico até o contemporâneo. São compositivas, podem acrescentar cor a um ambiente mais monocromático ou suavizar um ambiente que ja tem muita cor. Podem ser lisas, estampadas, geométricas, com botão, pingente, pedraria ou o detalhe que melhor compuser porém lembre-se que ao adornar muito, incrementa-se o visual e se perde no conforto. Sou fã das almofadas lisas ou com um “vivo” que dá arremate e charme. Agora você ja pode dar uma mudada no visual da casa por conta de um detalhe.

A cor:

  1. Cor – elas são ingredientes poderosos para dar toque final em grande estilo, podem ser cores frias ou quentes, neutras ou multicores. Esta escolha dependerá do que ja existe no ambiente ou do contexto. As cores tem regras de complementaridade, contraste, variações do mesmo tom, o famoso tom sobre tom. Aqui é necessário saber como harmonizar o novo com o existente.

São muitos detalhes para um pequeno item dentro do ambiente, mas vale muito a pena elaborar bem, pois o nosso espaço é o abrigo (casa) do nosso templo (corpo). E se queremos ter uma vida mais harmônica, saudável e feliz, vivendo o nosso máximo, cada detalhe conta e temos que cuidar de todos os aspectos que envolvem nosso templo e nossa casa com amor e com conhecimento.

Se assim mesmo está difícil para você vislumbrar soluções ou há mais coisas que deseja resolver realmente na sua casa ou escritório, chame-nos, estamos a disposição para agendar um horário presencial ou on-line.

E você curte um sofá com almofadas? Deixe seu comentário!

Beijos

Maitê 

Descubra o significado das janelas, como são parte importante do Design Biofilico e como você pode cuidar bem delas para seu bem-estar e saúde.

O exterior verde traz a vida para dentro.

As janelas tem um papel muito importante, não só na beleza dos ambientes mas também na sua saúde e bem estar.

As janelas são elementos preciosos em uma edificação, seja comercial ou residencial.

No Feng-shui, a sabedoria ancestral denomina as janelas como os olhos da casa.

No Design Biofilico é um item de máxima importância pois a natureza nos atrai o olhar, cria conexão emocional e energética.

Os nossos olhos nos trazem o que está fora de nós para nosso interior, através da visão e do processamento cerebral do que captamos, através dos nossos olhos, aí entra também um aspecto importantíssimo que é o Ciclo Circadiano e foi explicado no artigo Casa Saudável parte 7 Iluminação e corresponde ao nosso ciclo durante as 24 horas do dia e na alternância de estarmos  dormindo/acordado.

As janelas nos ambientes são as intermediárias entre nós e o ambiente exterior, assim como os nossos olhos em nós mesmos.

Os olhos da casa:

A luz natural que nossos olhos captam, nos equilibra em ciclos e aciona hormônios específicos tais como o cortisol e adrenalina que nos mantem despertos, fazendo o ciclo diurno e quando não há a luz natural, ou seja ja tendo anoitecido, o primeiro ciclo de melatonina inicia-se as 20h. A melatonina é antagonista da adrenalina/cortisol e nos induz ao sono.

As janelas, assim como nossos olhos, tem como função nos ajudar a controlar corretamente este ritmo de luz e ausência dela.

Ainda segundo o ancestral Feng Shui, quando o vidro da janela está trincado ou quebrado, isso nos perturba inconscientemente, por isso fica o lembrete de aspecto negativo em nossa casa. Como aquele cisco no olho que perturba e não nos permite ver claramente.

 O lembrete é de que devemos cuidar bem dos vidros, manter limpos pois eles tem um papel importante em nossa vida e no contato com o exterior.

Eu gostaria de acrescentar que as janelas também, na maioria das vezes, tem uma função importantíssima que é permitir a entrada de ventilação, trocar o ar, renovar, circular a energia, ela são como nossas narinas, seguindo com as semelhançaS biológicas.

Cortinas e persianas, como usar:

As janelas também nos mantém informados sobre o que acontece do lado de fora. 

Podemos observar mas também sermos observados.

Vem dai a noção de privacidade que nos mobiliza em ter mais controle da situação, colocando cortina ou persiana para controle efetivo da visão do meio externo.

Importantíssimo é escolher o melhor modo de fazer esta proteção interna da janela pois há inúmeras maneiras de atender esta necessidade, tais como:

  • Controle da visão e de iluminação – pode ser uma cortina leve que mantenha a luz natural em boa proporção, ou uma persiana que tenha giro de lamina e com isso possibilite ângulos que fecham a visão ou deixam ver parcialmente. Há tipos de persiana mais tecnológica que tem giro de lamina em um tecido translúcido que permite boa entrada de luz mas com privacidade visual. Controlando a Visão também podemos controlar a admissão de luz solar.

Controle de ruídos e de temperatura ambiente:

  • Minimização de ruídos – uma boa persiana celular, por possuir células, cria câmaras de ar, aumentado o isolamento acústico parcial em casos de necessidade desta natureza. Assim como cortinas pesadas ou com forro black-out.
  • A temperatura interna pode estar agradável mesmo que haja alguma incidência direta de sol, a proteção de cortinas e persianas funciona como um retardador da entrada e propagação de calor no ambiente.

Controle da Luz para um bom sono:

  • Escurecimento – acima falei de forro blackout que são eficientes em criar o escurecimento total, do mesmo modo tem persianas que tem essa função. É  muito importante ressaltar que o controle da luz urbana noturna, ou mesmo do luar que pode entrar pelas frestas da janela no dormitório pode aumentar a qualidade do nosso sono, pois a melatonina só é produzida sem a presença da luz, em especial da luz azul no espectro total ou a luz azul que esta contida na iluminação (espectro da luz).

O que significa termos a Visão da paisagem:

  • Ver a natureza ao olhar pela janela? Significa ter o contato imediato com a vida, encher nossos olhos de cor e ter a sensação de estar lá. Esta é a base do Design Biofilico. A natureza nos oferece tudo que precisamos ininterruptamente, há uma consonância, (que significa soar junto) nós vivemos em um acordo ou sinergia com a natureza. Acredito que ao tomarmos mais cuidado com o planeta, colaboraríamos muito mais com a natureza e consequentemente com a nossa natureza que é parte dela.
  • Ao olharmos para longe nossos olhos descansam e nossa visão melhora, todo o conjunto de músculos oculares descansam, olhar em outras direções também pois a direção usual é em frente e neste caso falamos de olhar angularmente. 
  • Olhar as cores estimula todo o conjunto neural (cérebro/sentidos) e a percepção das cores gera emoções conforme a cor observada.
  • A profundidade da paisagem pode ser inspiradora, instigante, relaxante, enfim nos traz momentos de estar profundamente no tempo presente, pela simples observação. Pode também auxiliar novas associações de ideias e estimular a criatividade.

O que podemos fazer se nem todos temos esta paisagem ao alcance do nosso olhar, considerando que morar na cidade nos traz mais frequentemente uma construção vizinha ou paisagem urbana.

Dica 1 – Estas são para quem não tem janela com paisagem:

 Uma ótima dica é usar e abusar dos recursos visuais como a arte nos oferece, belas fotos como paisagens ou imagens que nos agrade. Elas irão enganar nossa percepção visual dando nos visão análoga com um resultado semelhante de vermos uma bela paisagem.

Dica 2 – Espelhos dão dinamismo ao espaço e amplitude, criam atração visual para local diferente da janela que por não ter uma bela vista deve ser coberta por cortina ou persiana e preservar ainda em parte a entrada de luminosidade natural pois esta luz é absolutamente preciosa para nossa saúde e qualidade de vida.

Dica 3 – Plantas que emolduram as janelas dão um ar de urban jungle ou floresta urbana, e deslocam nosso foco para as plantas. Lembrando novamente do design Biofilico e do elo que nos une à natureza de quem dependemos para estarmos mais harmônicos. Aqui vale usar uma cortina leve que irá melhorar ainda mais o resultado.

Agora que você sabe varias formas de melhorar ou atenuar os efeitos da sua visão externa das janelas e de como tratar bem delas, os olhos da casa, basta aplicar e tirar proveito para ter uma casa que contribua para sua saude ótima e qualidade de vida. O Design Biofilico é uma tendência para nos estimular a reatar nossa ligação com a natureza, reencontrar a aliança que nos trouxe até aqui e nos mantém harmônicos.

Espero que tenha gostado! Deixe seus comentários ou perguntas.

Garanto que suas janelas podem trazer muito mais qualidade de vida e bem estar para você na sua casa ou escritório, mas caso não saiba como resolver, agende uma consultoria que estarei pronta para levar soluções para os seus problemas de interiores serem solucionados!

Beijão.

Maitê


Porque o Design Biofílico é tendência?

O ambiente interno ganha vida com a natureza como sua parte integrante e isso reflete em nossa saúde.

Saiba da importância dele na sua vida.

Ele vai aumentar a sua conexão com a natureza e isso por si só ja é muito importante para reduzir o stress e melhorar a sua saude e bem estar.

No Design Biofílico a natureza esta presente de modo direto, de modo indireto e nas condições do espaço criando em nos uma ressonância de harmonizar nosso corpo, mente e alma.

A conexão do nosso ser com a natureza e inegavelmente simbiótica, ou seja viemos dela em todos os detalhes da nossa constituição do mundo atômico, ou seja nossos átomos são compostos de matéria que há aqui no planeta, nos nos alimentamos, respiramos, nos nutrimos do que a nossa terra nos oferece.

Comprovadamente nossos corpos físicos são compostos de matéria que já pertenceu as estrelas, assim sendo a nossa vinculação esta clara, não só com a natureza mas sim com todo o sistema inclusive o cósmico.

Então é uma atitude inteligente e sensata estarmos mais perto da natureza para ativar e recarregar nossa energia.

Houve um distanciamento nosso da natureza no Design de nossos espaços e perdemos o Design Biofílico em nosso passado:

Os edifícios são representação de nossos conceitos e nossas crenças

(Exemplo, as catedrais e templos representam a espiritualidade e a fé, a grandeza do mundo espiritual.) Os nossos prédios são o resultado da cultura vigente em cada período da humanidade, ha uma história construída que nos leu ao esquecimento de nossa verdadeira necessidade.

Estabelecemos um sistema de viver, fomos aos poucos nos desconectando do que chamamos hoje de Design Biofílico, porém  necessitamos de tudo que o planeta nos oferece e renovamos nossa saúde através deste sistema, por isso a reconexão esta sendo propagada.

Na historia da civilização, temos em um grande período de tempo uma escalada de construções desconectadas com a natureza, desde que abandonamos os moldes da arquitetura vernacular que se trata de uma arquitetura ancestral passada pela tradição de geração em geração pois foi herdada, a sua principal característica é uso dos recursos locais e sistemas de amenização de fatores climáticos, criando assim um elo conectivo natural entre nós e o meio.

Fazendo uma reflexão porque nosso ambiente deve ter um Design Biofílico:

Vamos nos imaginar nas situações abaixo:

  • Na visão do céu diurno ou noturno. Ela nos provoca uma sensação de aprofundamento em nós mesmos, sensação de pertencimento.
  • O rico aroma de plantas e flores pode nos transportar em lembranças.
  • A umidade que toca e nutre a nossa pele, a atmosfera única de quando começa a chover e sentimos a alma ser lavada por sensação de hidratação.
  • A interação do nosso corpo e sentidos com as mudanças de estação.
  • A possibilidade de ter alimentos e frutas do jardim para nosso prato nos dá a sensação de ligação e sinergia com a terra.
  • A luz do dia nos despertando e o luar nos chamando ao descanso.
  • O ar que respiramos, quando puro, que nutre nosso organismo,
  • O canto dos pássaros e voos da borboleta, enche nosso momento de poesia.

Estes são apenas alguns pequenos e ricos detalhes da nossa interação com a natureza e a sensação de estar na natureza é uma de pertencimento, de acolhimento!

Pasme: Pelo menos 85% da nossa vida passamos em ambientes internos.

Veja a importância de olhar para esse modo de construir, de ambientar, não se tratando aqui de negar a tecnologia, que e muito bem vinda, mas por incluir a natureza para o nosso bem.

Existem muitos estudos, evidência cientifica e com real comprovação dos efeitos deste modo de habitar com o Design Biofílico incrementando nossas vidas.

Para saber mais: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=FyNer_nQrW4C&oi=fnd&pg=PT9&dq=biophilic+design+health+benefits&ots=y_i0feSRHP&sig=hjfvwZ_O3JTkOT4lG17N2BuWeJM&redir_esc=y#v=onepage&q=biophilic%20design%20health%20benefits&f=false

Vamos aos detalhes do Design Biofílico

Detalhes como janela para uma paisagem faz uma importante conexão (exemplo de diminuição do stress, bem-estar, redução de dor) é muito prazeroso estarmos acompanhando as nuances de mudanças do clima, em tempo real dentro do decorrer do dia, estes itens percebidos pelo nosso sistema automático reafirmam nossa orientação em tempo/espaço.

A luz natural nos faz imenso bem, (escolas cujas salas de aula têm boa admissão de luz natural) a luz solar faz a importante calibração circadiana para que nosso organismo reaja com harmonia e saúde.

Observe a luz provinda do domo superior, dando vida à circulação. Liceu Albert Sabin-Rib. Preto-SP

Padrões de comportamento, o mecanismo de luta e fuga pode ser acionado simplesmente por estarmos em um local escuro ou mal iluminado ou que nos traga a sensação de insegurança.

Sensações provocadas por cor, luz, texturas podem nos causar sensações boas e de segurança quando bem colocadas.

Gostaria de mostrar na prática, a escola Liceu Albert Sabin em Ribeirão Preto que é um projeto do nosso escritório, do Arq. Eduardo Salata Orsi e meu.

Também há hospitais em Singapura e Califórnia, Hotéis mundo afora, já há muitos ótimos exemplos de uso deste padrão do Design Biofílico, esses podem ser respectivamente locais muito apropriados para uma vida feliz, trabalho eficiente, aprendizado maximizado e recuperação rápida da saúde, depende de como o ambiente se apresenta aos nossos olhos e conjunto de percepção.

Listando em detalhes temos 14 padrões do design biofílico:

Na literatura temos esses 14 passos a serem seguidos: (www.terrapinbrightgreen.com)

1- conexão visual com a natureza,

2-Padrões naturais que nos remetem a natureza, ode usamos os nossos sentidos e percepção para nos sentir mais imersos nela.

3-estímulos sensoriais não rítmicos

4-conforto térmico-temperatura, humidade e fluxo do ar

5-presença da água

6- Iluminacão dinâmica que e capaz de acompanhar a temperatura de cor da luz natural

7-conexão com o sistema natural, como as estações do ano.

8-formas e padrões biomórfico ou derivados das formas naturais. Como formato de folhas, de madeira e outros como padrão aplicado em superfícies no ambiente ou mesmo estruturalmente colocados ou em móveis.

9-materiais conectados com a natureza local.

10-complexidade e ordem, ou a hierarquia através de escala no espaço como acontece no meio natural.

11-prospecção-ou a possibilidade de observar e ver o ambiente num panorama amplo e poder sentir a segurança que ele passa.

12-refúgio ou a sensação de segurança dada pelo ambiente em tipos de arranjo de moveis e tipologias especiais de moveis, como por exemplo, os casulos para pequenas reuniões.

13-mistério ou que há mais por vir e fazermos a leitura antecipada desta mudança

14-risco e perigo, algo que possa lhe manter atento, como o risco controlado de uma montanha russa. Gosto do exemplo de guarda corpo de vidro, aos olhos parece que não há proteção,  mas ela está ali.

Eu ainda incluiria mais itens nesta bela e eficiente lista:

pois as interações que temos com nosso planeta são incontáveis e nossos ancestrais já consideravam muitos destes pontos em favor das pessoas daquele grupo, tais como a possibilidade do Grounding como item 15, ou o contato dos pés na terra, a análise Geopática e eletromagnética do lugar como item 16, veja que o processo de interação pode ser rico em detalhes e inclusivo.

Então agora que você já sabe, você pode exigir seu projeto de construção da sua casa, escritório ou reforma com estes parâmetros, sua saúde e qualidade de vida irão fazer muita diferença.

Estamos à disposição para desenvolver seu projeto, agende um horário, teremos prazer em lhe atender.

Locais com muita gente te provocam mal estar?

Você não é está sozinho. Lugares lotados, multidões e espaços fechados provocam o acúmulo de energia e podem interferir no seu organismo. Entenda porque isso acontece e como minimizar o problema.

Se você já se sentiu cansado ao extremo, com sono, mudança de humor, ou ainda teve uma sensação de desconforto inexplicável em locais fechados e com muita gente, saiba que você não está sozinho.  Para algumas pessoas, essas sensações chegam a impactar o físico, sentindo dores de cabeça, dores no corpo e falta de energia. Mas, para entender tudo isso, precisamos dividir o assunto em três partes:

1- O local:

Lugares como supermercados, centros de compra, casas de show, aeroportos e estações são os tipos de locais que concentram muitas pessoas e, vamos pensar junto, qual seria o estado de consciência geral desta pequena multidão?

Como a energia se acumula nestes locais:

A cada pensamento temos uma vibração correspondente, ou o tipo de onda a que corresponde como energia. Se somarmos as vibrações semelhantes teremos uma carga energética dominante.

Multidão em movimento em locais públicos como centros de compra, supermercados e estações de transporte, a energia do lugar está sempre acelerada.

Em geral, nestes locais o pensamento de cada um está agitado, com foco em resolver questões práticas, o que comprar, enfim, são frequências não harmônicas e dissonantes que predominam. O local também tem sua própria faixa de energia, constituída pelos seus materiais construtivos, lembrando que matéria é energia lenta.

A luz também é importante, pois  é um parâmetro de energia em que podemos medir distâncias cosmológicas, tem sua velocidade em 300.000Km/s e se caracteriza por ser uma emissão luminosa. Já a velocidade do som é de 342m/segundo, sendo que é uma onda mecânica. Estes exemplos são de energias velozes.

Assim, cada material tem sua própria energia proveniente de seu arranjo molecular, além de  também absorverem e irradiarem as frequências dominantes nos espaços. Então, temos uma energia dominante que corresponde ao espaço ou local físico e esta energia de ressonância.

Vamos fazer uma comparação: quando entramos em uma catedral ou templo, por exemplo, somos embebidos em uma atmosfera de paz. E estes locais também congregam muitas pessoas, porém o propósito da ida é buscar paz e reflexão. Em geral, são locais silenciosos ou com músicas muito harmônicas.

Este também é um aspecto conhecido da Geometria Sagrada e de como os espaços funcionam como uma caixa de ressonância que repetem as frequências que passam por ele, sejam elas vindas do subsolo, do céu, dos frequentadores daquele espaço, ou tudo isto junto.

Na natureza, em campos abertos não há esta saturação em razão da fácil dissipação e todos os mecanismos de renovação da própria natureza. Por isso, é tão comum nos sentirmos “recarregados” quando estamos em contato direto com a natureza.

2- A energia:

Vamos falar aqui de eletromagnetismo. A energia, conforme sabemos, não é visível aos olhos, mas sabemos que ela está ali, sentimos,  porém não a vemos. A lâmpada é acesa quando tocamos o interruptor,  mas não vemos a energia chegar até ela.

Dessa forma, tudo que fazemos gera campo elétrico e magnético, nossos movimentos, nosso pensamento, nosso funcionamento.  E assim como os espaços físicos têm também um campo de energia, cada material tem sua energia correspondente, lembrando que tudo é composto por átomos, que são as partículas subatômicas, e são carregadas de energia.

Como a energia funciona:

Reparando bem, nós seres humanos somos um sistema complexo de captação e emissão de energia, funcionamos como uma antena e também geramos um campo eletromagnético primeiramente nas moléculas no movimento das partículas como os elétrons que constituem nosso corpo.

Temos boa parte do nosso corpo, 64%, preenchida por solução eletrolítica ou soro fisiológico, que é bom condutor de eletricidade. A cada batida do coração fazemos um pulso elétrico.

Somos um organismo bioelétrico e isso é facilmente verificável em um exame como o Eletro Cardio Grama (ECG) ou em um Eletro Encéfalo Grama (EEG). Todos nós temos um campo elétrico ao nosso redor, chamado Aura e facilmente fotografado em foto Kirlian.

Lembrando que a matéria está permeada por energia e ela mesma é como energia condensada.

Nós mesmos, as coisas e espaços fechados e tudo que é material está imerso em energia, própria e circulante.

3-Nosso ser, corpo humano físico/mental/espiritual:

Somos um sistema bioelétrico-químico e nosso organismo usa uma rede tipo uma internet para funcionar, mandar um comando do cérebro para o músculo ou um comando automático como para respirar, digerir. Enfim, tudo o que fazemos está mediado por comandos elétricos/químicos no organismo. Nossa manutenção e função usam uma rede de comunicação como se fosse uma intranet e também como estamos no meio ambiente, esta seria a internet e toda informação que chega via internet ou seja,  de fora para dentro, é conduzida pela intranet, nossa rede de nervos que recebe e endereça aos devidos destinos como o cérebro, coração e mesentério.

No nível mais sutil ou espiritual, podemos falar nos chacras ou centros de energia, ou podemos também considerar os meridianos, conhecidos na medicina oriental, usados pela acupuntura e Do-in como canais de energia sutil e que se sobrecarregados interferem negativamente na nossa saúde.

Com a energia é captada por nós:

Trocamos energia, ou informação com os lugares, onde vamos ou estamos, com as pessoas que  e tudo que nos relacionamos. Nossa frequência bioelétrica pode ser medida pelo aparelho chamado ohmimetro, (termo vem da unidade de medida ohm) a unidade de leitura é volt eletrostático. O nosso campo pode variar de 5.000 a 20.000 volts eletrostáticos.

Assim, mesmo com números tão expressivos acima, o nosso campo bioelétrico é fraco e sensível, perante, por exemplo, à energia que trafega nos fios de nossa casa e as influencias do meio, como por exemplo, o magnetismo solar, campos eletromagnéticos de redes de alta tensão, até mesmo perante o campo criado pelo nosso celular. Pode-se perder a vida em razão de um choque elétrico de 110V (Volts).

Toda sobrecarga eletromagnética faz mal as nossas células, por isto temos que ter muita atenção para preservar nossa integridade, bem-estar e saúde.

E como pode a energia do ambiente interferir na sua própria energia?

Sua percepção de mal estar pela agitação presente em locais de aglomeração não são falsas. As pessoas mais sensíveis e perceptivas sentem como se tivessem sido esgotadas e cansadas com sintomas físicos de mal estar quando estão em locais fechados e com pequenas multidões. Supermercados, shoppings, centros de compras, eventos e casas de shows são alguns dos locais mais comuns em que estes casos acontecem.

Com o acúmulo de pessoas, muito movimento, muitos pensamentos, imagine a agitação no mundo subatômico dos elétrons e prótons! O campo de energia ressonado no espaço interno e refletindo em todos que lá estão.

Agora você ja sabe por que isto ocorre.

É muito bom saber escolher o lugar para ir. Locais harmônicos são ótimos para nos ajudar energeticamente, pois frequentar espaços adequados também é um aspecto importante para nosso bem-estar.

Como minimizar o mal estar

Ir a locais de energia sobrecarregada devido ao acúmulo de pessoas às vezes é inevitável. Porém, cuidados podem ser tomados para que o mal-estar não seja permanente, por exemplo, não prolongar a permanência. Outra opção é, ao chegar tomar um banho de sal marinho, pois seu poder ionizante carrega para fora esta sobrecarga bioelétrica. Lembrando aqui que o sal é um cristal também.

Tudo que falamos desde a geometria do espaço, nosso campo elétrico e a influência por ele causada está embasado em estudos científicos recentes e que servem para ilustrar e comprovar o que estudos ancestrais como o Feng Shui e a geometria sagrada nos postulavam em termos de observar e cuidar do nosso espaço com atenção para tirarmos o melhor proveito desta relação.

Estes conhecimentos são aplicáveis em análises, como esta de espaços com muita concentração de pessoas.

E qual é a sua opinião sobre o assunto? Você já se sentiu mal em lugares com muita gente?

Deixe seu comentário e se tiver uma pergunta terei prazer em responder.

Beijos e obrigada por estar conosco.