Porque o Design Biofílico é tendência?

O ambiente interno ganha vida com a natureza como sua parte integrante e isso reflete em nossa saúde.

Saiba da importância dele na sua vida.

Ele vai aumentar a sua conexão com a natureza e isso por si só ja é muito importante para reduzir o stress e melhorar a sua saude e bem estar.

No Design Biofílico a natureza esta presente de modo direto, de modo indireto e nas condições do espaço criando em nos uma ressonância de harmonizar nosso corpo, mente e alma.

A conexão do nosso ser com a natureza e inegavelmente simbiótica, ou seja viemos dela em todos os detalhes da nossa constituição do mundo atômico, ou seja nossos átomos são compostos de matéria que há aqui no planeta, nos nos alimentamos, respiramos, nos nutrimos do que a nossa terra nos oferece.

Comprovadamente nossos corpos físicos são compostos de matéria que já pertenceu as estrelas, assim sendo a nossa vinculação esta clara, não só com a natureza mas sim com todo o sistema inclusive o cósmico.

Então é uma atitude inteligente e sensata estarmos mais perto da natureza para ativar e recarregar nossa energia.

Houve um distanciamento nosso da natureza no Design de nossos espaços e perdemos o Design Biofílico em nosso passado:

Os edifícios são representação de nossos conceitos e nossas crenças

(Exemplo, as catedrais e templos representam a espiritualidade e a fé, a grandeza do mundo espiritual.) Os nossos prédios são o resultado da cultura vigente em cada período da humanidade, ha uma história construída que nos leu ao esquecimento de nossa verdadeira necessidade.

Estabelecemos um sistema de viver, fomos aos poucos nos desconectando do que chamamos hoje de Design Biofílico, porém  necessitamos de tudo que o planeta nos oferece e renovamos nossa saúde através deste sistema, por isso a reconexão esta sendo propagada.

Na historia da civilização, temos em um grande período de tempo uma escalada de construções desconectadas com a natureza, desde que abandonamos os moldes da arquitetura vernacular que se trata de uma arquitetura ancestral passada pela tradição de geração em geração pois foi herdada, a sua principal característica é uso dos recursos locais e sistemas de amenização de fatores climáticos, criando assim um elo conectivo natural entre nós e o meio.

Fazendo uma reflexão porque nosso ambiente deve ter um Design Biofílico:

Vamos nos imaginar nas situações abaixo:

  • Na visão do céu diurno ou noturno. Ela nos provoca uma sensação de aprofundamento em nós mesmos, sensação de pertencimento.
  • O rico aroma de plantas e flores pode nos transportar em lembranças.
  • A umidade que toca e nutre a nossa pele, a atmosfera única de quando começa a chover e sentimos a alma ser lavada por sensação de hidratação.
  • A interação do nosso corpo e sentidos com as mudanças de estação.
  • A possibilidade de ter alimentos e frutas do jardim para nosso prato nos dá a sensação de ligação e sinergia com a terra.
  • A luz do dia nos despertando e o luar nos chamando ao descanso.
  • O ar que respiramos, quando puro, que nutre nosso organismo,
  • O canto dos pássaros e voos da borboleta, enche nosso momento de poesia.

Estes são apenas alguns pequenos e ricos detalhes da nossa interação com a natureza e a sensação de estar na natureza é uma de pertencimento, de acolhimento!

Pasme: Pelo menos 85% da nossa vida passamos em ambientes internos.

Veja a importância de olhar para esse modo de construir, de ambientar, não se tratando aqui de negar a tecnologia, que e muito bem vinda, mas por incluir a natureza para o nosso bem.

Existem muitos estudos, evidência cientifica e com real comprovação dos efeitos deste modo de habitar com o Design Biofílico incrementando nossas vidas.

Para saber mais: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=FyNer_nQrW4C&oi=fnd&pg=PT9&dq=biophilic+design+health+benefits&ots=y_i0feSRHP&sig=hjfvwZ_O3JTkOT4lG17N2BuWeJM&redir_esc=y#v=onepage&q=biophilic%20design%20health%20benefits&f=false

Vamos aos detalhes do Design Biofílico

Detalhes como janela para uma paisagem faz uma importante conexão (exemplo de diminuição do stress, bem-estar, redução de dor) é muito prazeroso estarmos acompanhando as nuances de mudanças do clima, em tempo real dentro do decorrer do dia, estes itens percebidos pelo nosso sistema automático reafirmam nossa orientação em tempo/espaço.

A luz natural nos faz imenso bem, (escolas cujas salas de aula têm boa admissão de luz natural) a luz solar faz a importante calibração circadiana para que nosso organismo reaja com harmonia e saúde.

Observe a luz provinda do domo superior, dando vida à circulação. Liceu Albert Sabin-Rib. Preto-SP

Padrões de comportamento, o mecanismo de luta e fuga pode ser acionado simplesmente por estarmos em um local escuro ou mal iluminado ou que nos traga a sensação de insegurança.

Sensações provocadas por cor, luz, texturas podem nos causar sensações boas e de segurança quando bem colocadas.

Gostaria de mostrar na prática, a escola Liceu Albert Sabin em Ribeirão Preto que é um projeto do nosso escritório, do Arq. Eduardo Salata Orsi e meu.

Também há hospitais em Singapura e Califórnia, Hotéis mundo afora, já há muitos ótimos exemplos de uso deste padrão do Design Biofílico, esses podem ser respectivamente locais muito apropriados para uma vida feliz, trabalho eficiente, aprendizado maximizado e recuperação rápida da saúde, depende de como o ambiente se apresenta aos nossos olhos e conjunto de percepção.

Listando em detalhes temos 14 padrões do design biofílico:

Na literatura temos esses 14 passos a serem seguidos: (www.terrapinbrightgreen.com)

1- conexão visual com a natureza,

2-Padrões naturais que nos remetem a natureza, ode usamos os nossos sentidos e percepção para nos sentir mais imersos nela.

3-estímulos sensoriais não rítmicos

4-conforto térmico-temperatura, humidade e fluxo do ar

5-presença da água

6- Iluminacão dinâmica que e capaz de acompanhar a temperatura de cor da luz natural

7-conexão com o sistema natural, como as estações do ano.

8-formas e padrões biomórfico ou derivados das formas naturais. Como formato de folhas, de madeira e outros como padrão aplicado em superfícies no ambiente ou mesmo estruturalmente colocados ou em móveis.

9-materiais conectados com a natureza local.

10-complexidade e ordem, ou a hierarquia através de escala no espaço como acontece no meio natural.

11-prospecção-ou a possibilidade de observar e ver o ambiente num panorama amplo e poder sentir a segurança que ele passa.

12-refúgio ou a sensação de segurança dada pelo ambiente em tipos de arranjo de moveis e tipologias especiais de moveis, como por exemplo, os casulos para pequenas reuniões.

13-mistério ou que há mais por vir e fazermos a leitura antecipada desta mudança

14-risco e perigo, algo que possa lhe manter atento, como o risco controlado de uma montanha russa. Gosto do exemplo de guarda corpo de vidro, aos olhos parece que não há proteção,  mas ela está ali.

Eu ainda incluiria mais itens nesta bela e eficiente lista:

pois as interações que temos com nosso planeta são incontáveis e nossos ancestrais já consideravam muitos destes pontos em favor das pessoas daquele grupo, tais como a possibilidade do Grounding como item 15, ou o contato dos pés na terra, a análise Geopática e eletromagnética do lugar como item 16, veja que o processo de interação pode ser rico em detalhes e inclusivo.

Então agora que você já sabe, você pode exigir seu projeto de construção da sua casa, escritório ou reforma com estes parâmetros, sua saúde e qualidade de vida irão fazer muita diferença.

Estamos à disposição para desenvolver seu projeto, agende um horário, teremos prazer em lhe atender.

Você usaria uma sala secreta no seu local de trabalho?

créditos da imagem: Jeenah Moon for The New York Times

Nos Estados Unidos, esta tal sala secreta  para ambientes corporativos tem sido bastante pedida nos projetos,  aos arquitetos e designers. E, talvez, essa pode ser uma tendência despontando mundialmente.

De acordo com o artigo do The New York Times, publicado em agosto passado, sob o título traduzido de  “Se essas paredes ( e estantes) pudessem falar”, relatando sobre  a tendência e como a existência de uma sala secreta gera  um mistério e  comentário,  com isso chama a atenção para a empresa auxiliando memorização da marca, apoia o trabalho de marketing.http:// https://www.nytimes.com/2019/08/13/business/if-only-these-walls-and-bookcases-could-talk.html

A origem da sala secreta e do espaço de trabalho

No final do século XIX e inicio do XX, surgiu a teoria administrativo/científica do trabalho, elaborada pelo engenheiro mecânico, Frederick W. Taylor que se empenhava em melhorar as técnicas industriais, para melhorar  desempenho e eficiência. Esta teoria ficou conhecida como Taylorismo.

Ela também influenciou enormemente a configuração dos locais laborais. O arranjo de planta dos escritórios lembrava a planta industrial, colocando os postos de trabalho como em uma linha de montagem ou sequencia.

Já nas décadas de 50 e 60 nos Estados Unidos, foram desenvolvidas novas configurações e vários sistemas para uso do espaço corporativo. Estas propostas eram novos olhares para o uso e aproveitamento espacial nos escritórios.

O chamado sistema Bull Pen colocou os cargos de chefia nas periferias dos pavimentos.  Na sequência desta proposta, veio o Single Office, como o nome já diz, escritório individual. Na década de 1960 surgiu o Executive Core, onde as chefias foram para o centro do pavimento.

Após muitos experimentos de melhor uso do espaço, chegou a vez do conhecido Open Plan ou planta livre, sua inovação era a integração e exclusão de paredes.

Paralelamente, na Europa foi a vez do Office Landscape ou escritório panorâmico, sem paredes também e totalmente integrado. Estes dois últimos experimentos foram bastante inovadores para sua época.

Imagine um pavimento inteiro de um edifício de escritórios totalmente integrado, onde todos falam com todos, e esta era a busca pela comunicação fluindo sem barreiras.

Porém, após tantos ensaios e desejo de acertar, viu-se em estudos para análise de desempenho do espaço que a equipe ficava sujeita a muitas distrações, sem conseguir se concentrar.

De lá para cá, muito já se pesquisou sobre este tema e a busca por novas maneiras de tornar o espaço de trabalho mais eficiente, amigável e produtivo.

O cenário atual

Hoje a disrupção é muito presente e com ela vem novos questionamentos. A busca ainda é a mesma de aprimorar o ambiente sob todos os aspectos. Por exemplo,  hoje temos em muitas corporações com salas de descanso, cantos de exercício criativo, espaços com mesas altas para reuniões rápidas, espaços para lazer e coffee shop.

Neste cenário, vemos o surgimento da sala secreta. Elas ficam ocultas de todos os  olhares, pois normalmente estão atrás de estante de livros ou parede móvel. Não dá para saber que estão ali, você precisa saber como abrir essa porta oculta, o que nos remete ao conto de Aladim e o famoso abre-te sésamo!

Esta ideia não é nova, pois as grandes pirâmides já tinham  suas câmaras ou salas secretas, castelos medievais, os games e até no filme Harry Potter. Podemos dizer que elas sempre incitaram a curiosidade e descoberta, consideradas um espaço exclusivo, privativo, silencioso e inusitado, bacana!

Conclusões sobre a tendência das salas secretas

O que temos que perguntar é: se a integração total e a conectividade plena dos nossos dias estão abrindo espaço de novo para o isolamento, ainda que por curto período. Será que a concentração e a sutileza de momentos de profunda criatividade estão cobrando seu espaço?

Talvez neste mundo hiperconectado, estejamos precisando de um pouco de solitude, desejosos de privacidade e esta é uma ótima reflexão. Será que a resposta é termos uma sala secreta? Ou continuar a aposta na integração total dos ambientes de trabalho?

O que você acha?

Deixe seu comentário.

Maitê Orsi