Cores calmantes: você pode diminuir ansiedade e nervosismo com elas

Em momentos de incerteza como este, as cores também são um ótimo recurso para te ajudar a manter o equilíbrio. Saiba como usá-las ao seu favor

Escolhi as amostras de cores calmantes em exemplos que vem da natureza. Não conseguimos negar a calma que nos trás olharmos para a água nestes tons turquesa, flores em tons violáceos, o verde em um gramado ou na paisagem e por fim um lindo e intenso céu azul.

A cor é uma linguagem que não encontra barreira para chegar diretamente nas nossas emoções. Assim que as vemos, imediatamente este processo de comunicação se inicia e nos sensibiliza de algum modo, nos transmitindo calma, agitação, energia, introspecção ou tantas outras emoções. Essas emoções originárias das cores geram reações promovidas no nosso interior que podem ser benéficas ou não. 

Estamos em um período difícil pelo isolamento, além das dificuldades e dúvidas em relação ao Covid19 e todas as suas incertezas. Por isto, temos que tirar proveito de tudo que estiver ao nosso alcance para melhorar a nossa rotina e termos sensação de bem-estar e qualidade de vida, além de reduzir o nervosismo e ansiedade de modo natural. Tudo isso pode ser atingido pelo meio dos nossos sentidos.

ENTENDA A INFLUÊNCIA DAS CORES

Através da visualização de uma cor, por exemplo, podemos nos acalmar e diminuir o nervosismo, a ansiedade, além de incrementar bom ânimo. Somente temos que escolher as cores certas para tal finalidade.

As cores claras, com pouca saturação ou, digamos, cores em que o pigmento colorido foi diluído em bastante branco, resultando em uma cor suave, já podem ser consideradas cores que têm este efeito soft em nosso sistema nervoso. Diferentemente de cores fortes e intensas, que nos sensibilizam de modo mais enfático e energético.

Podemos falar sobre cores que transmitem a ideia de segurança também. Nem todas elas são cores claras, como por exemplo a cor apontada pela Pantone para 2020, o Classic Blue. Trata-se de um azul intenso, porém clássico  e que passa a ideia de estabilidade. Em geral, mais intensidade de pigmento resulta em cores mais fortes e para terem este efeito calmante, deverão ser cores da paleta fria, ou seja o azul, violeta e verde.

Um outro exemplo de cor muito calmante, que chega a provocar diminuição no ritmo cardíaco e queda na pressão arterial é o Turquesa. É aquela cor que fica entre o azul e o verde. 

CROMOTERAPIA, A APLICAÇÃO TERAPÊUTICA DAS CORES

Há um ramo da ciência que estuda os efeitos da cor sobre nosso corpo e mente, de modo terapêutico: a Cromoterapia. É um segmento da ciência antiga que remonta aos tempos do antigo Egito, especialmente da cultura védica na India. 

Atualmente é uma prática terapêutica alternativa para tratar males físicos e emocionais, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde desde 1976.

Este estudo nos conduz ao uso apropriado da cor, onde cada uma delas terá um resultado sobre o corpo e mente, tratando-nos para recuperamos a homeostase, ou estado de equilíbrio.

Além da cromoterapia, temos o estudo de psicodinâmica das cores – já parte dos estudos da psicologia – que estuda o efeito da cor em nós.

RELAXAMENTO, Desconforto?

O QUE VOCÊ SENTE COM AS CORES?

Dentro destes contextos, a cor, quando bem usada, é uma aliada. Porém, quando mal aplicada, pode trazer transtorno na rotina, no bem-estar e na nossa saúde, deixando-nos mais nervosos e agitados.

Imagine uma cor que você não gosta, que somente de ver já causa irritação, ai um dia você chega em casa e seu quarto está todo nesta cor. Claro, isso será como um pesadelo e, de repente, você está imerso em sua cor detestada. Imagine a sensação de desconforto! 

A sensação de mal estar dominando cria uma cascata bioquímica que começa e irá provocar desconforto real, um verdadeiro pesadelo. O inverso também é verdadeiro se você usar as cores que te dão bem-estar. A sensação será uma cascata de boa bioquímica, de calma e tranquilidade, um verdadeiro sonho.

Na semiótica, que é a teoria geral das representações, que analisa os signos/símbolos sob todas as formas. A linguagem verbal ou não verbal, ou algo que tem o seu significado externo, no plano da realidade e também no campo do que cada um percebe interiormente e do que representa para cada um, como aquilo é visto. Podemos incluí-la neste nosso tour pelos estudos da cor para o correto embasamento e compreensão de todo o seu papel na nossa rotina.

A cor, pode ser interpretada no seu significado universal, ou em seu consenso geral. 

Já no âmbito pessoal, as cores são interpretadas de acordo com a realidade individual. Isto dependerá do contexto cultural, familiar e social para receber significado ou como funciona ao ser vista, no âmbito emocional da análise psicodinâmica (“conjunto de fatores de natureza mental e emocional que motivam o comportamento humano, especialmente os que aparecem como reação inconsciente aos estímulos ambientais”) e exatamente do mesmo modo, ela pode significar algo no contexto universal ou como é vista pela maioria e no contexto pessoal.

SIGNIFICADOS UNIVERSAIS E PARTICULARES DAS CORES

Como exemplo prático, tomemos a cor rosa.  

A cor rosa, que representa universalmente brandura, é também símbolo de amor fraterno ou maternal. Porém, uma criança que teve uma experiência traumática com esta cor no passado, não irá reagir conforme o significado universal de amor e brandura, e sim de acordo com um significado pessoal, de medo ou aversão. O episódio traumático deixou uma memória negativa e ela reagirá com aversão a esta cor.

Então, se quisermos estudar a cor sob vários ângulos, temos muitas ferramentas conforme falamos acima, porém o que fica inegavelmente colocado é o poder que elas têm de nos colocar em estado emocional e sentimental específico com muita facilidade. 

Gostaria de citar um trecho de artigo publicado que traz mais evidência ao tema:

“Pesquisas recentes do grupo descobriram um pequeno efeito da luz colorida na freqüência cardíaca e na pressão sanguínea: a luz vermelha parece aumentar a freqüência cardíaca, enquanto a luz azul a reduz. O efeito é pequeno, mas foi confirmado em um artigo de 2015 por um grupo na Austrália.” Este é  parte da publicação norte-americana The Conversation e também publicada no site www.sciencealert.com. Esta pesquisa citada norteou mudança na cor da plataforma de trem do aeroporto Gatwick em Londres U.K.. O uso da cor para o azul reduziu em 74% o numero de suicídios que eram praticados neste local. Veja o poder da cor ai comprovado na diminuição de fatores de stress.

Será muito útil um olhar rigoroso para a cor dos ambientes, especialmente nestes tempos de mudanças de rotina a que fomos colocados nesta quarentena. 

E fazermos um manejo positivo de cores nos ambientes para nos beneficiar, será algo muito positivo no aumento de qualidade de vida e diminuição do stress.

E para nós tirarmos este proveito positivo e termos mais calma, tranquilidade baixar a ansiedade devemos usar as cores frias, nos matizes mais claros como é o caso do turquesa, do azul e do lilás. Com certeza ficaremos mais serenos e isso ajudará significativamente no nosso bem estar e qualidade de vida.

Espero que tenha gostado e que deixe seu comentário ou dúvida, que terei prazer em responder.

Beijos

Maitê Orsi 


2 comentários em “Cores calmantes: você pode diminuir ansiedade e nervosismo com elas”

  1. Eu adorei o artigo! Muito informativo. Entendo que cores suaves como o azul tem muita aceitação em ambientes de descanso como quartos. As cores mais intensas são indicadas para quais ambientes?

    1. Olá Gabi, muito obrigada pelo seu comentário e sua ótima pergunta.
      As cores intensas são mais ativantes e energéticas, especialmente se forem cores quentes como vermelho, laranja e amarelo. A visualização delas nos incita mais à ação e trazem respostas emocionais mais marcantes.
      Estas cores são mais usadas em locais de estar, Hall de entrada, especialmente se queremos enfatizar o acolhimento com uma cor quentinha. A escolha da cor pode estar dependendo de fatores tais como: dimensão do ambiente, iluminação, hierarquia de atenção, volumetria do espaço, e sem duvida preferência e função do ambiente.
      O próximo artigo será sobre cores ativantes, espero que goste!
      Beijos
      Maitê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *